Skip links

Pacto Global de Prefeitos disponibiliza série de capacitação online para cidades que desejam ampliar seus conhecimentos técnicos em ação climática

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 13.3 prevê “Melhorar a educação, aumentar a conscientização e a capacidade humana e institucional sobre mitigação, adaptação, redução de impacto e alerta precoce da mudança do clima”. Combater a mudança global do clima e promover o desenvolvimento sustentável envolve uma série de desafios a serem superados e, nesse esforço, a capacitação das cidades é prioridade.

Visando apoiar e inspirar as cidades signatárias durante o caminho da ação climática, em 2019 o Pacto Global de Prefeitos pelo Clima e a Energia na América Latina e Caribe, apresentou gratuitamente uma série de webinários sobre as distintas fases e aspectos que integram a iniciativa.

Durante as dez sessões apresentadas, em português e espanhol 52 representantes de 21 Organizações[1] de referência em matéria de mudanças climáticas fizeram parte desta trajetória compartilhando conhecimentos e experiências acumuladas. As formações contaram aos participantes em que consiste o Pacto Global de Prefeitos (GCoM), desde suas origens e implicações positivas (sessão 1), passando pelos requisitos de adesão (2), a forma de reportar os avanços (3), como envolver diferentes atores governamentais e não governamentais (4), os elementos  de um inventário de gases de efeito estufa (5), como estabelecer metas de redução de GEE (6),planejamento de ações de mitigação na cidade (7), avaliação de riscos e vulnerabilidades climáticas (8), planejamento de políticas e medidas de adaptação climática (9) e, por fim, o financiamento da ação climática (10).

Além das apresentações técnicas, em cada sessão uma cidade signatária do Pacto foi convidada a compartilhar sua experiência ao vivo. Buscando valorizar a diversidade das boas práticas, neste espaço estiveram presentes desde a cidade colombiana de Tópaga, de cerca de 3 mil habitantes às maiores cidades do continente como as capitais peruana e equatoriana de Lima e Quito e cidades emblemáticas como Rio de Janeiro (mais de 6 milhões de habitantes), totalizando 20[2] cidades de 8 países latinoamericanos: Argentina, Brasil, Colombia, Chile, Costa Rica, Equador, México Perú.

Dessa lista, Belén, Godoy Cruz, Quito, Tópaga e Recifeforam selecionadas para participar de um diálogo inter-regional do GCoM durante o Terceiro Evento do Programa Internacional de Cooperação Urbana (IUC) que ocorrerá no próximo mês em Bruxelas, Bélgica. Com o objetivo de compartilhar experiências e soluções, a atividade envolverá representantes de todas as regiões do Pacto: Europa, Sudeste, Sul e Leste da Ásia, América Latina e América do Norte.

As sessões ao vivo dos webinários se encerrarão no dia 7 de novembro de 2019 e contaram com bons resultados. Até o momento, somam 450 participações ao vivo e 720 visualizações dos registros. Os recursos seguem disponíveis: as gravações e conteúdos dos webinários podem ser acessados na seção de recursos do site do Pacto e no canal do Youtube do Helpdesk IUC LAC.

O Pacto convida todas as cidades que desejam construir seus planos de ação a consultarem este material e, assim, ampliarem suas capacidades técnicas de atuação frente às questões de mudanças climáticas. Não perca esta oportunidade!


 

[1] Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF); C40; Carbon Disclosure Project (CDP); European Covenant of Mayors; Foro Ciudades para la Vida (FCV); Facultad de Ciencia Política, Gobierno y Relaciones Internacionales da Universidad del Rosario – Bogotá, Colombia; GIZ; ICLEI – Colombia; ICLEI – Global; ICLEI – SAMS; Instituto Clima e Sociedade (ICS); Instituto de Planeación y Gestión del Desarrollo del Área Metropolitana de Guadalajara (IMEPLAN); Instituto Energia e Meio Ambiente (IEMA); Joint Research Centre (JRC); ONU-Habitat Brasil; Programa Internacional de Cooperação Urbana – América Latina e Caribe (IUC LAC); Red Argentina de Municipios frente al Cambio Climático; Secretariado Global do GCoM; Secretariado Regional do GCoM; WayCarbon; WWF – Brasil y WWF – Equador;

[2] Mérida (México); Godoy Cruz (Argentina); La Unión (Costa Rica) Santiago (Chile) Belén (Costa Rica); Quito (Ecuador); Lima (Peru); Juaréz (México); Tópaga (Colombia); Rosario (Argentina); Campinas (Brasil-SP); Nitéroi (Brasil-RJ); Fortaleza (Brasil-CE); Recife (Brasil-PE); João Pessoa (Brasil-PB); Londrina (Brasil-PR); Rio de Janeiro (Brasil-RJ); Belo Horizonte (Brasil-RJ); Curitiba (Brasil-PR).

Join the Discussion

Return to top of page