Skip links

Godoy Cruz Carbono Neutral 2030, um município sustentável

Godoy Cruz é um município argentino localizado na província de Mendoza. Ao assinar o Pacto Global de Prefeitos pelo Clima e a Energia, em 2018, nos comprometemos voluntariamente na luta contra as mudanças climáticas, reduzindo seus inevitáveis impactos e facilitando o acesso a energia sustentável e acessível para todos. Fomos uma das 07 cidades para completar o Plano de Ação Climática, atualmente no processo de validação. Trataremos de expor aqui um pouco de nossas atividades no âmbito do programa IUC-LAC e nossos avanços em relação ao desenvolvimento urbano sustentável.

Desde 2016, o Município de Godoy Cruz desenvolve um plano de políticas públicas baseado em cinco eixos de gestão que incorporam os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável desde a perspectiva local.

No marco da Rede Argentina de Municípios frente às Mudanças Climáticas, aprofundou-se sua política ambiental com o objetivo de abordar as mudanças climáticas a partir do papel do poder local associado à comunidade, considerando fundamental que  por meio de ações concretas do Estado , os cidadãos agem em consonância com eles, assumindo a dimensão do que essa ameaça representa para a humanidade.

Desde 2013, o município realiza seu inventário de GEE a fim de analisar as fontes de geração (energia, transporte e resíduos), e depois tomar medidas para reduzi-las. O valor permaneceu estável até 2016, quando começa uma redução acentuada. Em 2015, foram geradas 2,98 toneladas de CO, enquanto no ano passado (último relatório) o valor foi reduzido para 2,36 toneladas de CO, o que representa uma redução de 20,8% em 3 anos.

Analisando as fontes, observa-se que 53% das emissões de gases de efeito estufa são provenientes da energia, 25% de transportes e 22% de resíduos.

Para avançar na diminuição, foi desenvolvido um plano para 2030, onde o objetivo final é a neutralidade de carbono. Isso nos torna o primeiro município da Argentina a ter uma meta tão ambiciosa.

No que diz respeito à energia, a subcategoria de edifícios residenciais representa a maior quantidade de CO2 e, razão pela qual as estradas são fornecidas para acessar equipamentos de geração solar (fotovoltaica e térmica) para os vizinhos, bem como auditorias energéticas para tornar o consumo mais eficiente e a rotulagem de casas (com 120 casos-piloto) foi iniciada em conjunto com a Secretaria de Energia da Nação.

Em relação ao que compete ao Município, foram instalados 177 painéis fotovoltaicos e 52 aquecedores de água termal em espaços públicos e edifícios próprios. Isso representa a geração de 77.000 kwh por ano de energia solar por painéis (evitando 28.490 kg de CO), enquanto os aquecedores de água térmicos geram 6600 kwh por ano, de forma que 24.420 kg de CO não sejam mais  produzidos.

Foto da praça Mirta Elena García de Gómez, mais conhecida como a praça solar, em um dos bairros de Godoy Cruz. Possui 18 painéis distribuídos em três estruturas, ou “árvores”, que produzem mais energia do que a demandada  pela a praça.

A isto se soma a substituição de luminárias por sistemas de LED, o que gera uma economia de 247.010 kWh por ano e, portanto, reduz 91.394 kg de CO2.

Por outro lado, no que diz respeito aos transportes, registaram-se progressos no desenvolvimento da rede de ciclovias com um total de 22 km e mais 18 projetados, promovendo assim a mobilidade sustentável através de uma infraestrutura segura que conecte Godoy Cruz internamente e às jurisdições vizinhas. A rede é complementada por um serviço de empréstimo gratuito de bicicletas, que foi utilizado por 12.910 usuários em 2018, equivalente a 32275 km percorridos, evitando 8,05 toneladas de CO2 por ano. Além disso, estão sendo feitos progressos na conversão de veículos municipais, incorporando bicicletas e carros elétricos. Deve ser adicionado à isso a incorporação de ônibus elétricos adquiridos pela província de Mendoza recentemente, o que equivale evitar que 199,8 toneladas de CO2 sejam emitidas por mês apenas em nosso departamento.

Vizinhança  aproveitando a ciclovia que liga o sul e norte do departamento

O progresso continuará avançando em medidas que tendem a fomentar  uso do transporte público e a mobilidade sustentável a fim de diminuir com essa fonte.

Em relação à terceira fonte, o município conta com 130 pontos de separação de resíduos secos, distribuídos em parques, praças, escolas, clubes, centros esportivos e sindicatos de bairro, para promover a classificação de resíduos em residências, lojas e indústrias. Por outro lado, os sacos de polietileno foram proibidos nos supermercados, e o tratamento de baterias, baterias, lâmpadas de baixo consumo e óleo vegetal utilizado por toda a comunidade local é facilitado. Nessa ordem de ideias, o processo de separação de resíduos na fonte começou, de maneira progressiva, avançando atualmente nas principais artérias comerciais e em seis bairros. O desafio é que no próximo ano todos os vizinhos separem seus resíduos em duas categorias: os orgânicos de um lado e os secos do outro. Estes últimos representam 30% do total. Portanto, sua reutilização e reciclagem não só impedem que elas sejam enterradas no aterro, mas também promovem a economia circular. No que diz respeito aos resíduos orgânicos, está sendo realizado um trabalho  relativamente à compostagem dos mesmos, em um esquema de desenvolvimento residencial e de bairro para tratamento individual. Eles compõem 50% do que os produzem.

Veículo municipal  específico para separação de lixo nos 130 pontos verdes e em cada vizinhança e comércio que  aderiram ao programa

Finalmente, em relação à adaptação às mudanças climáticas, o município realizou obras de infraestrutura para minimizar os danos causados pelas fortes chuvas (principalmente no verão), assim como a erradicação de árvores secas que resultam de fortes ventos (a zonda é um fenômeno característico de Mendoza que cada vez se apresenta com mais frequência) podem cair e produzir danos, a limpeza contínua dos canais e o uso racional da água por meio de sensores de telemetria para consumo próprio e campanhas de conscientização para as vizinhanças. Vale ressaltar que o que se refere à gestão de recursos hídricos, isso depende da província de Mendoza.

Este é um breve resumo das principais ações que desenvolvemos do departamento de Godoy Cruz, com a firme convicção de que é possível trabalhar por um planeta melhor para as nossas próximas gerações.

Lic. Tadeo García Zazalar

Intendente do Município de Godoy Cruz

 

Join the Discussion

Return to top of page