Skip links

Cidades e Governos Nacionais Formam Parceria em Fundo de Financiamento de Déficit Climático de 100 Milhões de Euros

A iniciativa de múltiplas partes interessadas tem o potencial para desbloquear 4 bilhões de euros no financiamento de ações climáticas nas cidades

22 de setembro de 2019, Nova Iorque – O Pacto Global de Prefeitos pelo o Clima, juntamente com o Governo da Alemanha e o de Luxemburgo, anunciaram  o lançamento do City Climate Finance Gap Fund.  Ambos os governos pretendem fornecer até 50 milhões de euros em concessões. O Fundo visa uma capitalização de pelo menos 100 milhões de euros, que irá desbloquear 4 bilhões de euros em projetos de infraestrutura de alta qualidade,de baixo carbono e resilientes ao clima das cidades.

Responsáveis por 75% das emissões globais de gases de efeito estufa, as cidades desempenham um papel fundamental no combate  às mudanças climáticas. Assim, a ação climática das cidades, como parte do desenvolvimento e implementação de Contribuições Nacionalmente Determinadas (NDCs, em inglês), é explicitamente reconhecida no Acordo de Paris sobre Mudanças Climáticas. Um número crescente de cidades estão desenvolvendo planos de ação climática e acompanhando suas próprias “Contribuições Localmente Determinadas” por meio de importantes iniciativas, como  o Pacto Global de Prefeitos pelo o Clima e a Energia. Entretanto,  as cidades geralmente carecem de recursos críticos e  de capacidade para avançarem concretamente nas ideias de projetos de infraestrutura  e em um caso robusto de negócios. Como resultado, um canal multibilionário (em euros) de ideias de projetos de infraestrutura de alta qualidade, que podem contribuir para a mitigação e adaptação às mudanças climáticas, nunca alcançam o estágio de preparo de investimento e de implementação.

O recém anunciado City Climate Finance Gap Fund irá abordar a ausência crítica de concessões de financiamento necessários para consolidar os canais de projetos,  a partir de um estágio em que podem ser avançados em direção à análise completa da viabilidade e, em última instância, ao investimento. Isso vai acarretar no aumento significativo de canais de projetos de infraestrutura urbana resilientes ao clima, financiáveis e de alta qualidade, que devem ser progredidos para atender à urgência da crise climática.

O Gap Fund visa angariar mais de 100 milhões de euros em concessões com o objetivo de desbloquear pelo menos investimentos no valor de 4 bilhões de euros em projetos de infraestrutura urbana. A Alemanha pretende fornecer até 40 milhões de euros e Luxemburgo até 10 milhões de euros.  O Gap Fund apoiará as atividades de preparação de projetos para infraestrutura urbana resiliente e de baixo carbono em pelo menos em uma dúzia de cidades por ano, seguindo os três objetivos principais a seguir:

  • Capacitação:Aprimorar a capacidade das cidades e das autoridades locais para implementar as ideias de projetos de alta qualidade para a posterior preparação do projeto;
  • Estabelecimento de canais para assistência técnica em estágio avançado: Construir um portfólio sólido de casos de negócios de projetos para iniciativas e instituições que se concentram em fornecer assistência técnica para a preparação de projetos em estágio avançado; e
  • Estabelecimento canais para investidores: Aumento em escala de alternativas de projetos financiáveis.

As cidades estão na vanguarda de nossos esforços globais para combater as mudanças climáticas, e o City Climate Finance Gap Fund é um novo passo importante para apoiá-las.” Disse Michael R. Bloomberg, Enviado Especial para Ação Climática do Secretário Geral das Nações Unidas e Copresidente do Pacto Global de Prefeitos pelo o Clima e a Energia. “O fundo vai apoiar as cidades a tornarem suas ideias em projetos concretos que possibilitam infraestruturas sustentáveis, reduzem emissões e protegem os habitantes dos piores impactos das mudanças climáticas. As ações das cidades já estão fazendo uma grande diferença – e essa iniciativa irá permitir que elas façam mais, e mais rápido”. Disse a Ministra Alemã para o Meio Ambiente, Svenja Schulze. “Nós gostaríamos de ressaltar que é exatamente o tipo de suporte que as cidades necessitam para suas ações climáticas locais e, portanto, projetaram o Gap Fund com o GCoM desde o início”.

 “68% da população está projetada a viver em áreas urbanas até 2050. Necessitamos fortalecer nossos esforços em infraestrutura urbana favoráveis ao clima, construir parcerias e formas concretas e inovadoras de financiamento se quisermos ter cidades resilientes e saudáveis para os próximos anos. É exatamente o que consiste o City Climate Finance Gap Fund” afirmou a  Ministra de Luxemburgo   para o Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Climático, Carole Dieschbourg.

 

Sobre o BMU e o BMZ

O Ministério Federal do Meio Ambiente, Conservação da Natureza e Segurança Nuclear (BMU)  é responsável pela política climática e ambiental nacional e internacional. O International Climate Initiative (IKI) do BMU é um dos primeiros programas de financiamento ao redor do mundo a financiar especificamente os projetos climáticos e os de biodiversidade nos países em desenvolvimento e nos emergentes, bem como nos estados em transição. O IKI foi estabelecido em 2008 e é um componente importante nos compromissos financeiros da Alemanha juntamente com a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC) e a Convenção sobre Biodiversidade (CBD). Com um grande foco na implementação NDCs, enfatiza explicitamente a proteção do clima, a adaptação às conseqüências das mudanças climáticas e a proteção da biodiversidade. O IKI está desenvolvendo em linha com a política climática global. Para implementar os projetos em seus países parceiros, o IKI trabalha em conjunto com várias organizações implementadoras como GIZ, KfW, bancos de desenvolvimento, ONGs e organizações da ONU.

 

Para mais informações:

Site: https://www.international-climate-initiative.com/en/

Contato de imprensa: presse@bmu.bund.de, +49 / (0)30 / 18 305-2010

Dentro do governo alemão, o Ministério Federal de Cooperação Econômica e Desenvolvimento (BMZ) é responsável pela política oficial de desenvolvimento da Alemanha. A tarefa do BMZ é determinar os objetivos da política de desenvolvimento alemã, negociar com cerca de 80 países parceiros em todo o mundo no que diz respeito à cooperação bilateral e para contribuir para a formação da cooperação multilateral. A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável adotada pelas Nações Unidas constitui a estrutura internacional para a política de desenvolvimento da Alemanha. Um foco especial do BMZ é criar melhores oportunidades nos países de origem dos refugiados. Outros tópicos importantes são segurança alimentar global, desenvolvimento econômico sustentável e ação climática.   O Ministério tem sede em Bonn e Berlim. O BMZ também possui algumas equipes designadas para as embaixadas alemãs em seus países parceiros e em organizações internacionais. Para a implementação de seus projetos, o BMZ conta com as seguintes organizações, entre outras: Agência Alemã de Cooperação (GIZ), KfW Group, e o Engagement Global – Service for Development Initiatives.

Para mais informações:

Contatos de imprensa:

 presse@bmz.bund.de, +49 / (0)30 / 18 535-28 70

Sobre a Ação Climática em Luxemburgo

Luxemburgo se compromete a atingir o nível zero de emissões de gases de efeito estufa até 2050O Relatório de Finanças Sustentáveis de Luxemburgo e o Pacto Climático são, entre outras, as principais estratégias para alcançar nossas metas ambiciosas.  Luxemburgo é um dos maiores contribuintes per capita para o financiamento climático internacional, que vem além da nossa Ajuda Pública ao Desenvolvimento (APD), o que corresponde a 1% do PIB.

 

Para mais informações:

André Weidenhaupt, Director-General: andre.weidenhaupt@mev.etat.lu

Jimmy Skenderovic, Attaché: jimmy.skenderovic@mev.etat.lu

 

Sobre o Pacto Global de Prefeitos pelo o Clima e a Energia

O GCoM é a maior aliança global para a liderança climática, unindo uma coalizão global de mais de 10.000 cidades e governos locais. As cidades e parceiros do Pacto Global de Prefeitos pelo o Clima e a Energia compartilham uma visão de longo prazo de apoio a ações voluntárias para combater as mudanças climáticas e alcançar uma sociedade resiliente e de baixa emissão. O GCoM atende a cidades e governos locais, mobilizando e apoiando ações ambiciosas, mensuráveis e planejadas sobre o clima e a energia em suas comunidades, trabalhando com redes de cidades/regiões, governos nacionais e com outros parceiros para alcançar nossa visão. Liderado pelo o Enviado Especial para Ação Climática do Secretário Geral das Nações Unidas, Michael R. Bloomberg, e o Vice-Presidente da Comissão Europeia, Maroš Šefčovič, a coalizão compreende cidades de 6 continentes e 132 países, representando mais de 800 milhões de pessoas ou 10% da população global.

 

Para mais informações:

Marshall Cohen
Chief of Staff
Global Covenant of Mayors
mcohen@globalcovenantofmayors.org
https://globalcovenantofmayors.org
+32 492 25 56 31

 

Fonte: Global Covenant of Mayors for Climate and Energy

 

Join the Discussion

Return to top of page