Skip links

Cidades da América Latina e Caribe se mobilizam contra a pandemia de COVID-19

Após o reconhecimento da pandemia de Covid-19 pela Organização Mundial de Saúde, dirigentes locais da América Latina e Caribe tomaram medidas que levam em consideração a responsabilidade das prefeituras em resguardar a saúde de toda a população que acessa serviços e eventos disponibilizados nos municípios. Prefeitas e prefeitos da região estão dando respostas firmes neste momento de crise mundial.

Em uma série de matérias vamos destacar as iniciativas de cidades signatárias do Pacto Global de Prefeitos pelo Clima e a Energia no enfrentamento à pandemia na América Latina e Caribe. Esses dirigentes já fazem parte da maior aliança global de governos locais pelo clima e agora se destacam também pela implantação de políticas públicas para assistir as populações em um momento de emergência sem precedentes. Participe enviando sugestões de iniciativas da sua cidade.

Praça da igreja de Nossa Senhora de Lourdes, em Bogotá, durante a quarentena

 

Bogotá – Colômbia  

A prefeita de Bogotá, Claudia López Hernández, estendeu o isolamento social na cidade até o dia 27 de abril. O movimento chamado “Cuarentena por la vida” (Quarentena pela vida) determina que saia de casa somente uma pessoa de cada família, por vez, para a compra de itens essenciais.

Na área de segurança alimentar a prefeitura quer garantir o sustento, durante a quarentena, de 350 mil famílias que vivem em condição de pobreza e vulnerabilidade. E para alcançar meio milhão de famílias assistidas, foi lançada uma campanha de doações para atender mais 150 mil famílias nas mesmas condições. O ingresso básico será de 425 mil pesos colombianos, o equivalente a pouco mais de 100 dólares.

Outra iniciativa é a criação de linha de crédito para empresas de eventos e restaurantes, que são as atividades comerciais que mais sofreram limitações de suas atividades durante a quarentena. Atuando também no sentido de evitar demissões em massa, a prefeitura promete criar linhas de fomento para aumentar a capacidade produtiva de algumas indústrias e setores, além de ativar fábrica de máscaras e restaurantes e cozinhas para alimentar a população vulnerável.

A educação pública também entrou no plano de emergência da prefeitura de Bogotá. O calendário escolar foi modificado para que os estudantes não fiquem desamparados, e foram estabelecidas regras para educação à distância.

São Leopoldo (RS) – Brasil

A prefeitura decretou Estado de Calamidade e impôs medidas imediatas visando a contenção da propagação e de prevenção ao COVID-19. Uma delas foi o isolamento social. Não podem funcionar espaços de aglomeração como shoppings, casas noturnas, bares, academias de ginástica, salões de beleza, cinemas, clubes, museus e teatros. Os únicos centros comerciais autorizados a funcionar são farmácias, clínicas de atendimento na área da saúde, padarias, supermercados.

Para o transporte coletivo, a prefeitura determinou que o número de pessoas não pode exceder a capacidade de passageiros sentados, além de determinar a limpeza diária dos veículos. Os veículos também devem ter fixadas informações sanitárias sobre higienização e cuidados para a prevenção do COVID-19.

Para fazer a triagem e encaminhamento de pacientes com suspeita de contaminação, a cidade montou estruturas modulares para evitar que demais usuários da rede pública tenham contato com pacientes com sintomas de coronavírus. Após essa primeira avaliação nesse espaço separado, o usuário será redirecionado para isolamento domiciliar ou internação.

Centro de Observação e Triagem para Atendimento ao Covid-19, em Franco da Rocha, São Paulo

Franco da Rocha (SP) – Brasil

No sentido de preparar o sistema de saúde para um aumento da demanda, a Prefeitura de Franco da Rocha ergueu, em dez dias, um Centro de Observação e Triagem para Atendimento ao Covid-19. O local vai funcionar 24 horas por dia e conta com cerca de 70 profissionais de saúde.

O centro está preparado para realizar testes rápidos e atender pacientes encaminhados pelas unidades básicas de saúde. São 40 leitos preparados para atender pacientes com sintomas leves a moderados. Os casos mais graves serão encaminhados para as Unidades de Terapia Intensiva.

Montevidéu – Uruguai

O enfrentamento da violência contra a mulher também entrou no plano emergencial de Montevidéu, já que o isolamento na quarentena pode aumentar os casos de agressões domésticas. A cidade ajustou horários e serviços especiais de atendimento gratuito a mulheres em situação de violência, além de dispor de atendimento telefônico de emergência.

A cidade implementou o teletrabalho para servidores públicos, reforçando o isolamento social. Outra medida anunciada foi a doação de cestas de alimentos e produtos de higiene para famílias mais necessitadas.

Join the Discussion

Return to top of page